22 de jun de 2016

Jandira Feghali assume liderança da minoria na Câmara

Foto Joaquim Dantas
Foto Joaquim Dantas
PCdoB, PT e PDT vão se revezar na posição. 
A comunista substitui José Guimarães (PT-CE) e afirma que minoria vai seguir reagindo com conteúdo, de forma qualificada e contundente contra as arbitrariedades do governo interino de Michel Temer.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) assumiu nesta terça-feira (21) a liderança da minoria na Câmara no lugar do petista José Guimarães (CE). A parlamentar deve ficar à frente do grupo por um mês. A ideia é que os partidos que compõem a minoria – PT, PCdoB e PDT – se revezem na liderança enquanto o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff estiver em análise no Senado.

Juntas, as legendas têm aproximadamente 90 parlamentares, mas a estratégia será articular os demais partidos que se opõem ao governo Temer para somar forças na Câmara. “Vamos reagir com conteúdo, de forma qualificada, com contundência a esse processo que o Brasil está vivendo. Temer representa uma agenda de absoluta desnacionalização, uma agenda de mudanças constitucionais, de retirada de direitos e nós vamos nos articular não só nos partidos, mas com todos aqueles deputados que não concordam com isso e queiram votar conosco. Além disso, vamos intensificar o debate com a sociedade sobre o que significa esse governo interino usurpador e o que é sua agenda. Dessa forma, teremos uma estratégia para enfrentar essa aqui dentro e lá fora”, afirma Jandira Feghali.

A atuação da parlamentar nos últimos dois anos na defesa do governo Dilma e, particularmente, contra o processo de impeachment da presidenta afastada foram decisórios na escolha do nome da parlamentar. “Jandira é uma liderança extraordinária e sempre esteve conosco nessa atuação. Foi a partir da atuação dela na defesa do governo Dilma que escolhemos seu nome. Agora, é fundamental mantermos essa unidade entre PT, PCdoB e PDT até que Dilma volte à Presidência da República”, explica o deputado José Guimarães, vice-presidente nacional do PT.

Para o líder do PCdoB na Câmara, Daniel Almeida (BA), a correligionária se consolida como uma importante liderança de esquerda. “Nesse processo de debate do impeachment, ter o papel de líder de oposição significa ser capaz de dialogar, de colocar as matérias do interesse do país em primeiro lugar, mas não se afastar do confronto necessário em defesa da democracia, contra o governo ilegítimo de Temer. E Jandira representa isso, como importante liderança de esquerda que é.”

Além de sua atuação, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) lembra ainda a simbologia de ter uma mulher combatendo o governo de Temer. O ministério do interino não possui uma mulher no primeiro escalão, o que não ocorria desde Geisel. “É fundamental termos uma mulher nesse debate, sobretudo num momento que temos um governo ilegítimo, usurpador, que não tem nenhuma mulher em seu governo. Nós não podemos dar mole para este governo golpista. Agora, minha expectativa é um olhar duro para este governo, pois não permitiremos perda de direitos e venda do patrimônio público como ele quer”, declara o vice-líder da minoria.

Fonte
Assessoria de Comunicação
PCdoB na Câmara
(61) 3215-9738

@pcdobnacamara 
facebook.com/pcdobnacamara

RADIOAGÊNCIA
http://www.pcdobnacamara.org.br/site/radioagencia/

WEBTV
http://www.pcdobnacamara.org.br/site/politicaempauta/
www.flickr.com/pcdobcamara

Postar um comentário