27 de ago de 2015

Ponte no Lago agora é Honestino Guimarães

Lei altera o nome da ponte Costa e Silva para Honestino Guimarães


A ponte passa a ser reconhecida como símbolo de liberdade e luta em defesa da democracia.

Brasília ganha, a partir de hoje (27 de agosto), um novo marco da resistência contra o golpe militar de 1964 e a luta pela redemocratização do Brasil. O governador sancionou o projeto de lei, de autoria do deputado Ricardo Vale (PT), que substitui o nome da ponte Costa e Silva para Ponte Honestino Guimarães. 

A ponte deixa de homenagear um dos ícones da ditadura para reverenciar o líder estudantil da UnB, Honestino Guimarães, torturado e morto nos porões da repressão militar.

“A sanção desta lei tem, para mim, dois significados especiais: o primeiro, homenagear um dos tantos brasileiros que lutaram e morreram defendendo nossa democracia; o outro, por ser omeu primeiro projeto de lei apresentado na Câmara Distrital a transformar-se em lei”, afirma Ricardo Vale.
Para o autor da proposta, que exerce seu primeiro mandato político, ver transformado em lei 
justamente o PL que muda o nome de um monumento da cidade, “é motivo de bastante orgulho”. 
Ricardo Vale diz que o nome anterior não deve ser varrido da História, na medida em que as novas gerações precisam conhecer tudo que o país viveu até alcançar a democracia plena que hoje todos usufruem. “Mas o nome daqueles que patrocinaram as maiores violações aos direitos individuais e coletivos dos brasileiros não pode servir para dar nomenclatura a monumentos, logradouros ou obras de arte”. 

A resolução nº 28 da Comissão Nacional da Verdade, que trata da preservação da memória, em relatório apresentado à presidente Dilma Rousseff, em 2014, sugere que o nome de todos os monumentos que fazem homenagem a ditadores seja alterado.

A nova Lei foi publicada no Diário Oficial de hoje [27/08/2015], página 02, Seção 01.
LEI Nº 5.523, DE 26 DE AGOSTO DE 2015.
(Autoria do Projeto: Deputado Ricardo Vale)
Dá nova denominação à ponte sobre o Lago Paranoá que liga a QI 10 do Lago Sul à via L4 Sul. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, FAÇO SABER QUE A CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI:

Art. 1º A ponte que liga a Estrada Parque Dom Bosco na altura da QI 10 da Região Administrativa do Lago Sul à via L4 Sul na altura do Trecho 1 do Setor de Clubes Esportivos Sul passa a denominar-se Ponte Honestino Guimarães.

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, 26 de agosto de 2015

127º da República e 56º de Brasília
RODRIGO ROLLEMBERG


SOBRE HONESTINO GUIMARÃES
Honestino Guimarães foi um jovem estudante da Universidade de Brasília, preso e torturado pela Ditadura Militar. Quando mudou para Brasília, em 1960, era um adolescente fanático por leitura. Honestinoterminou o curso ginasial e começou o científico no Centro de Ensino Médio (Elefante Branco). Em 1964 transferiu-se para o Centro Integrado de Ensino Médio (Ciem). Participou do movimento estudantil secundarista e, em 1965, foi o primeiro colocado no vestibular geral da UnB, aos 18 anos. Por sua atuação no movimento estudantil universitário, Honestino passou a ser perseguido pelos órgãos de repressão política. Em 1969, foi eleito vice-presidente da UNE - União Nacional dos Estudantes (UNE) e em 1971 foi eleito presidente da instituição. Após muitas prisões e fugas, seu desaparecimento foi conhecido pelas declarações de sua mãe e de companheiros, em 10 de outubro de 1973, e seu corpo encontra-se desaparecido desde 1974. 
Postar um comentário