6 de nov de 2015

Dilma: “Bolsa Família não será reduzido”

Foto Joaquim Dantas
Foto Joaquim Dantas
Dilma defende luta contra a fome e garante que “Bolsa Família não será reduzido”
A presidenta garantiu que "nenhum passo atrás será dado" nas ações promovidas pela gestão PT. As declarações foram feitas durante a 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em Brasília

As políticas sociais promovidas pelas gestões do Partido dos Trabalhadores ao longo destes 13 anos e que resultaram na saída do Brasil do Mapa Mundial da Fome, em 2014, foram relembradas pela presidenta Dilma Rousseff, nesta terça-feira (3), durante a 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em Brasília. Na ocasião, a chefe do Executivo garantiu que “o Bolsa Família não será reduzido”.

“Quero assegurar que o Bolsa Família continua sendo pago pontualmente e garanto que não será reduzido”, afirmou a presidenta.

A defesa do programa de transferência de renda que beneficia atualmente 50 milhões de brasileiros, ou seja, 1 em cada 4 pessoas no País, foi uma resposta da presidenta em relação à proposta do relator do orçamento de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR). Ele propôs um corte de R$ 10 bilhões dos R$ 28,8 bilhões previstos para o programa no próximo ano.

Dilma Rousseff salientou que o o governo trabalha para “reorganizar” a situação fiscal do país e que, por isso, existe a necessidade do ajuste fiscal. No entanto, ela afirmou que não irá “abrir mão das políticas que estão mudando o Brasil”.

“Passamos hoje por momentos de ajuste, por um momento necessário para reorganizar nossa situação fiscal, reduzir inflação, recuperar a força de nossa economia. Para isso, nós vamos adotar várias medidas, mas, asseguro a vocês, essas medidas têm por objetivo encurtar este período para que possamos, de forma mais rápida, crescer e gerar todos os empregos e oportunidades necessários para o nosso povo”, afirmou.

A presidenta reiterou “nenhum passo atrás será dado na nossa trajetória”. Nesse sentido, Dilma reforçou que as ações do governo serão mantidas, principalmente as que se referem ao combate da fome no país.

“O fim de um período é o início de uma nova luta. Por isso, nenhum passo atrás será dado na nossa trajetória, nós vamos ampliar nossa agenda, que não é qualquer agenda. É uma das agendas centrais do meu governo. Nós daremos continuidade e avançaremos sem qualquer recuo a todas as ações que garantam que brasileiros e brasileiras fiquem livres da fome”, disse.

A presidenta frisou que o “apoio à agricultura familiar persiste e é forte”. Em junho, o governo federal ampliou, para 2016, em 20% o Plano Safra da Agricultura Familiar. Foram repassados para o setor R$ 28,9 bilhões.

Além disso, a gestão petista instituiu o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PPA), que utiliza mecanismos de comercialização que favorecem a aquisição direta de produtos de agricultores familiares ou de suas organizações.

Ao final do discurso, a presidenta reforçou que sua gestão preza pela qualidade alimentar dos brasileiros e que trabalha para a redução da miséria e fome no Brasil.

“Meu governo está engajado na luta pela alimentação de verdade no campo e nas cidades”

Por Michelle Chiappa, da Agência PT de Notícias
Postar um comentário