12 de nov de 2015

Dilma quer que a Vale pague prejuízos de avalanche em MG

A presidenta Dilma pediu a Casa Civil que delegue a Samarco que arque com o pagamento dos prejuízos com a avalanche em Mariana, Minas Gerais.

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

A avalanche de lama de resíduos da extração de minérios, provocada pela ruptura das duas barragens da mineradora Samarco, que é controlada pela Vale do Rio Doce (e que foi privatizada por Fernando Henrique Cardozo à preço de banana) e pela mineradora holandesa BHP, provocou um prejuízo terrível aos moradores da histórica cidade de Mariana, em Minas Gerais. Mais de 600 pessoas perderam, literalmente, tudo.

A cidade também perdeu e muito, já que a justiça determinou que empresa interrompa imediatamente as suas atividades. 80% da arrecadação da cidade vem da atividade de mineração da Vale e cerca de 250 pessoas, das mais de 600 que perderam tudo, trabalhavam na mineradora.

O ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, deve se reunir com autoridades de Minas Gerais e representantes da mineradora, ainda esta semana, para discutir, entre outras coisas, os gastos com o abastecimento de água nas cidades atingidas pela lama, provocando a interrupção do abastecimento de água à população.
Informações do site da Samarco

A presidenta Dilma determinou, nesta quarta-feira (11), que a Casa Civil delegue a Vale e a BHP todos os custos com os prejuízos causados a todos os municípios da região que foram atingidos pela avalanche. Dilma está certa, não tem o menor cabimento o governo federal arcar com qualquer despesa, por menor que seja.

Vários especialistas tem afirmado na imprensa que a empresa falhou no monitoramento da represa e no planejamento de riscos, entre outras coisas. Segundo o site da Samarco a mineradora aumentou em 9,5 milhões de toneladas ao ano, em 2014, a produção de minério de ferro na região, consequentemente, cresceu o volume de rejeitos depositados nas barragens mas, será que eles se preveniram para esse aumento de dejetos?

Esperamos que as investigações esclareçam isso, também.
Postar um comentário