12 de nov de 2015

Tatuador de imagem ofensiva à Dilma pede desculpas

Tatuador de imagem ofensiva à Dilma pede desculpas de maneira inusitada
Tatuador que desenhou, a pedido de um cliente, a presidente Dilma Rousseff fazendo sexo oral divulga um texto em que faz uma autocrítica. Para reforçar o pedido de desculpas, Irineo Waismann fez em seu próprio braço uma tatuagem 'pró-feminismo'

Com um desenho sexista e ofensivo, o tatuador Irineo Waismann, de Uberlândia (MG), foi alvo de inúmeras críticas nas redes sociais ao longo da última semana.

Ele havia tatuado, a pedido de um cliente, uma imagem que retratava a presidenta Dilma Rousseff fazendo sexo oral e publicou a imagem em seu perfil no Facebook (relembre aqui). Entre as críticas, sobressaíram-se as que o acusavam de machismo e falta de ética profissional.

Nesta quarta-feira (11), Waismann publicou a foto de uma nova tatuagem. Desta vez, feita por outra pessoa e com um cunho bem diferente: ele retratou, no próprio braço, a imagem de uma mulher com o símbolo de Vênus ao fundo – ícone recorrentemente usado por movimentos feministas. O desenho, de acordo com o tatuador, foi a maneira que ele encontrou de se desculpar por ter ofendido tantas mulheres com a imagem de Dilma.

“Pensei, repensei, pensei muito e decidi fazer essa tatuagem. Pra me desculpar pelo meu desinteresse, em saber sobre esse movimento de luta das mulheres pelos seus direitos. Será que por eu ter sido criado em uma sociedade também machista, não consegui enxergar que aquilo poderia ser uma ofensa para as mulheres e não só uma critica ao governo ?”, escreveu no texto em que utilizou como legenda da foto.

Segundo conta o artista, sua ignorância em relação ao tema se dava por conta do seu “aprofundamento nos estudos da tatuagem”, em que teria se “isolado desse mundo de ideologias”. “Errei sim (…) Enquanto a Nasa busca por outros mundos vou tentar focar mais nesses que me rodeiam”, pontuou.

Confira a íntegra do depoimento de Waismann:

Boa tarde a todos. 

Esses dias que se passaram foram difíceis pra mim. Pensei, repensei, pensei muito e decidi fazer essa tatuagem. Pra me desculpar pelo meu desinteresse, em saber sobre esse movimento de luta das mulheres pelos seus direitos. 

Será que por eu ter sido criado em uma sociedade também machista, não consegui enxergar que aquilo poderia ser uma ofensa para as mulheres e não só uma critica ao governo ?
Procurei saber um pouco sobre esta luta.

Foi quando percebi o quanto eu estava atrasado, pois é uma luta muito antiga que vem desde o século 19 onde a terceira onda deste movimento ocorre desde os anos 90. Depois que comecei a me aprofundar nos meus estudos com a tatuagem percebi que fui me isolando cada vez mais desse mundo de ideologias e entrando no mundo da tatuagem onde somos livres. 

Quem é tatuador de verdade sabe que no nosso mundo da tatuagem ja sofremos muito preconceito, inclusive dentro de casa pela própria família.

Mas hoje somos livres, não existe regras, não existe limites por que é arte e a arte ta ai pra causar sentimentos mesmo, fortes, amenos, alegres, tristes etc… 

as vezes pode ser como uma cutucada no ego, um soco no preconceito ou um dedo na ferida mesmo, pra retratar algo que esta errado e precisa mudar. Errei sim. Pois como eu disse estava muito no meu mundo da tatuagem. 

Esquecendo dos outros, que ao mesmo tempo andam juntos.Enquanto a nasa busca por outros mundos vou tentar focar mais nesses que me rodeiam. Além do mundo da tatuagem, o das ideologias, o da musica, o da sociedade e o de cada pessoa individual pois cada cabeça é um mundo. Trabalho feito pelo meu parceiro de trampo Douglas Carlos, obrigado meu irmão.
Postar um comentário