11 de dez de 2015

PM invade teatro em São Paulo para agredir estudantes

A Polícia Militar invadiu, de moto, o hall do teatro,
foi até a bilheteria e espancou os meninos
PAULO GOYA/FACEBOOK
Crime ocorreu na quarta (9). Quatro soldados em motocicletas invadiram saguão do Eugenio Kusnet. 
Três adolescentes espancados. Funarte repudia e ministro exige explicações de Alckmin

por Redação RBA

São Paulo – Quatro soldados da Polícia Militar de São Paulo, montados em motocicletas invadiram o Teatro de Arena Eugênio Kusnet, localizado na região central de São Paulo, e espancaram três adolescentes que se escondiam da repressão contra os participantes de um ato de protesto pela reorganização do ensino público proposta pelo governado Geraldo Alckmin (PSDB).

"A gente estava aqui quando a PM veio perseguindo três jovens, entrou com motocicleta dentro do teatro, que é uma instituição federal, foi até a bilheteria e espancou os meninos", relatou o diretor musical do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, Eugênio Lima, que dava aula no local quando ocorreu a invasão.

Em nota, a Fundação Nacional de Artes (Funarte) reiterou o relator de Eugênio e afirmou que "os policiais retiraram à força os jovens de dentro da bilheteria do teatro, sem ordem de prisão, nem qualquer tentativa de manutenção da ordem – apenas com agressões aos adolescentes."

"A Funarte repudia essa ação arbitrária e violenta, que fere os direitos previstos na Constituição Federal, no Estatuto da Criança e do Adolescente e, principalmente, o Estado Democrático de Direito. Em defesa da memória do Teatro de Arena e de todos os artistas que fizeram desse espaço palco da luta insubmissa e revolucionária contra a ditadura militar, a Funarte e o Ministério da Cultura, gestores do teatro, exigem esclarecimentos do Governo do Estado de São Paulo sobre o episódio", diz em nota.

O ministro de Cultura, Juca Ferreira, afirmou ontem (10) que está "chocado com a atuação da polícia", e solicitou esclarecimentos ao governo Alckmin sobre o caso.


Postar um comentário