4 de jun de 2016

"Dança Fank pornográfico e não quer ser estuprada"


Opinião
Editorial do Blog do Arretadinho para as moças do "Fank, que usam decote, saia curta, shortinho e não querem ser estupradas"

Por Joaquim Dantas

A frase em aspas foi o início de um diálogo que presenciei entre um casal de classe média a respeito, ainda, do estupro coletivo sofrido por uma jovem no Rio de Janeiro recentemente. A frase foi pronunciada pela mulher de aproximadamente 30 anos.

Seguiu-se o diálogo com o homem sentenciando:

- Ela teve não o que merecia, mas o que procurou, infelizmente é uma drogada. Quem se mistura com porcos farelos come.

E a mulher determinou:

- Ela frequentava baile Fank e quem vai nesses lugares só termina nisso mesmo, assim como as mulheres que não se dão ao respeito e que usam decote, saia curta, shortinho e não querem ser estupradas".

Infelizmente esse casal não pensa de forma isolada, muitas pessoas pensam assim também.

O que essas pessoas esquecem é que antes do Fank o que estava em evidência era a chamada Axé Music, com as milhares de Carlas Perez esfregando-se na boquinha de uma garrafa de cerveja, em frente a TV aos "domingões" à tarde e todo mundo  achando normal.

A memória desa gente desaparece esperando fevereiro chegar, para ver as "personalidades" mostrarem os seios desnudos na Marquês de Sapucaí, para o mundo inteiro apreciar, por que isso não é sacanagem, porque não é Fank e não acontece na favela.

Na favela é sacanagem, no asfalto não.

No asfalto o Estado está, mesmo que minimante, presente. Mas na favela o Estado só está presente para reprimir, extorquir e matar. O Estado enxerga a favela com olhar de percentual destorcido: 90% são bandidos e 10% são trabalhadores envolvidos ou coniventes com o crime organizado.

Quando o MC versa que o Comando Vermelho é legal é porque o Estado não está presente para ser legal com a maioria daquela população. O MC, ao contrário do que muitos pensam, quando faz esse tipo de afirmação não está fazendo apologia ao crime, está relatando a realidade do que a população vive todos os dias.

Favela e asfalto não seguem caminhos diferentes, seguem em vias paralelas que, uma hora dessas, vai afunilar para uma via só. Quando isso acontecer, nunca uma frase terá feito tanto sentido: "O sistema é bruto, o processo é lento e o bagulho é louco".

#SalveJorge
Postar um comentário