6 de dez de 2016

Vídeo mostra aluno obrigado a ficar descalço por vice-diretor

ARQUIVO PESSOA
Caso ocorreu em no Centro de Ensino Fundamental Arapoanga, em Planaltina, na segunda (5/12). Vice-diretor foi detido e levado à 31ª
Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o constrangimento sofrido por um garoto de 12 anos depois que o vice-diretor do Centro de Ensino Fundamental Arapoanga, em Planaltina, o obrigou a ficar descalço durante a aula, na segunda-feira (5/12). Na gravação, os colegas comentam o caso e explicam o que ocorreu à pessoa que filma. Algumas crianças riem da situação. A repercussão do episódio foi parar na Câmara Legislativa, e a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos prometeu tomar providências.

Segundo integrantes do Conselho Tutelar ouvidos pelo Metrópoles, o menino chegou à instituição com o chinelo e foi repreendido pelo vice-diretor, Jordenes Ferreira da Silva. “Para punir o aluno, o docente ficou com o calçado e mandou o estudante entrar descalço. Na sala de aula, os colegas começaram a rir e ele ficou chorando”, contou um conselheiro, que pediu para não ter o nome divulgado.




Uma servidora do centro de ensino entrou em contato com o Conselho Tutelar e relatou o caso. “Quando chegamos lá, o rapaz ainda estava sem a sandália. É um caso de abuso, humilhação, constrangimento e maus tratos”, completou o conselheiro.

Ainda na escola, Jordenes recebeu voz de prisão. Ele foi para a 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina) no próprio carro, mas escoltado por policiais militares. Em depoimento, o docente afirmou que o menino estava chutando uma bola no interior da escola e, por isso, pegou os chinelos do rapaz e o chamou para conversar em sua sala. Disse ainda que estava apenas “exercendo seu poder disciplinar” e que não expôs a criança a vexame, informou a Divisão de Comunicação da Polícia Civil.

Comissão de Direitos Humanos
Depois que a situação foi noticiada pelo Metrópoles, o presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Câmara Legislativa, Ricardo Vale (PDT), repudiou a atitude do vice-diretor. Para ele, o comportamento de Jordenes foi “despido de qualquer sensibilidade humana”. “O país que produziu Paulo Freire não pode se permitir atitudes tão flagrantemente desrespeitosas com suas crianças e com sua Educação”, afirmou, por meio de nota.

O deputado disse ainda que vai se reunir com outros membros da comissão nesta terça-feira (6) e estudar ações possíveis para o caso. O distrital se comprometeu também a acompanhar a apuração da situação na Secretaria de Educação e no Conselho Tutelar.

A Secretaria de Educação informou que vai investigar o caso e, dependendo das apurações, pode abrir um procedimento administrativo contra o vice-diretor do centro de ensino.

Jordenes Ferreira foi candidato a deputado distrital pelo PPS. Recebeu 10.924 votos, mas não foi eleito. Até a última atualização desta reportagem, o vice-diretor não havia se manifestado sobre o caso.


por Portal Metrópoles
Postar um comentário