2 de out de 2015

Papa diz que a mídia deturpa e desinforma

Globo, Band, Folha, Editora Abril, responsável pela Veja, Folha, RBS e Jovem PAN, entre outras, abriram contas para lavagem de dinheiro na Suíça no escândalo denominado Swssileaks. 

por *Emanuel Cancella

É diferentemente do cidadão comum que busca acordo na Receita Federal para limpar seu nome, pois os meios de comunicação ainda saem acusando, sem nenhuma base, aqueles que podem enfrentá-los.

Dilma não presta, segundo essa mídia, principalmente porque anunciou uma lei para regular a comunicação no país. Ferramenta que existe em todo mundo desenvolvido para evitar superpoderes, como a da Globo que acaba sendo “a poderosa” e usa seu poder para delinquir impunemente. A mídia brasileira reage à tentativa de regulação como “golpe”  e “mordaça”. Eles querem liberdade para continuar a praticar corrupção e atingir, sem provas, a honra de qualquer brasileiro.

Além da conta no HSBC da Suíça, a Globo é autora de outros escândalos, já que sonegou o Imposto de Renda da transmissão da Copa do mundo de 2002.

Eles, os meios de comunicação, atacam sem provas qualquer cidadão. Se fazem isso com a presidente da República, Dilma, e com o ex-presidente Lula,  imaginem com o cidadão comum.

Por exemplo: Veja e Globo disseram, de forma mentirosa, que ambos, Lula e Dilma, sabiam da corrupção na Petrobrás, isso na véspera da eleição para favorecer o outro candidato, Aécio Neves, do PSDB.

Veja agora está nas bancas com matéria de capa que o Jornal do Brasil, de 26/9, anuncia assim: ‘Veja' ataca Lula com suposta delação premiada de ex-deputado...Corrêa é um dos deputados que mais prestaram serviços à ditadura...

A Veja é campeã em difamar, injuriar e caluniar as pessoas. Faz isso porque a lei que pune o crime contra a honra é frouxa, se a lei fosse dura nesses casos, com certeza a Veja não seria usuária desse tipo de delito.

E não faz isso por acaso, age como um partido político querendo inviabilizar o governo Dilma e impossibilitar a volta de Lula, os únicos que podem ameaçá-los e barrar a mídia corrupta que eles operam!

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).
Postar um comentário