18 de nov de 2015

Militantes do Estado Islâmico fogem de Raqqa após ataques aéreos russos

A Rússia já usou 37 novas aeronaves em ataques aéreos após a
confirmação de que a queda do A321 foi causada por um atentado terrorista
foto AP Photo/Sputnik/Misha Japaridze
Combatentes do Estado Islâmico estão fugindo da fortaleza do grupo terrorista em Raqqa, na Síria, após a intensificação dos ataques aéreos de Rússia e França. Alguns terroristas abandonaram seus postos e estão fugindo na direção de fronteira com a Turquia, enquanto outros estão escondidos em prédios civis, informou nesta quarta-feira (18) a agência russa RIA Novosti, citando relatos de testemunhas locais.

Em Tel-Abyad, uma cidade localizada 100 quilômetros ao Norte de Raqqa, combatentes do Estado Islâmico abandonaram suas bases sob pressão de forças curdas.

O grupo Estado Islâmico vem sofrendo pressão adicional após assumir a autoria do atentado a bomba contra um avião russo no Egito e dos ataques de sexta-feira (13) à noite em Paris, com mais de 120 mortos.

Ontem (17), a Rússia revelou haver dobrado a escala de seus ataques na Síria. O país já usou 37 novas aeronaves para liderar ataques aéreos após a confirmação de que a queda do A321 foi causada por um atentado terrorista. Um braço egípcio do Estado Islâmico já havia assumido a autoria do atentado que deixou 224 mortos.

Desde então, a Rússia executou 34 ataques usando mísseis de cruzeiro e usou os bombardeiros de longo alcance Tu-160, Tu-95 e Tu-22, que decolaram de suas bases rumo a Raqqa e outros alvos.

A França, por sua vez, bombardeou Raqqa na noite de domingo (15). Foi o ataque mais agressivo do país contra o Estado Islâmico e destruiu um posto de comando e uma instalação de treinamento controlada pelos terroristas.

Da Agência Sputnik Brasil

Postar um comentário